III Fórum de Cidadania Financeira discute o acesso ao crédito para inclusão financeira dos pequenos negócios - ABSCM - Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito

     
Últimas Notícias

Fique por dentro das últimas novidades do setor

  NOTÍCIAS -   11 DEZEMBRO 2017

III Fórum de Cidadania Financeira discute o acesso ao crédito para inclusão financeira dos pequenos negócios

O detalhamento das estatísticas financeiras das micro e pequenas empresas foi anunciado ontem, 07 de novembro, durante o III Fórum de Cidadania Financeira, promovido pelo Banco Central do Brasil, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no Centro de Convenções de Vitória, no Espírito Santo.

A Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito (ABSCM), representada pelo diretor executivo, Rubens de Andrade e pelo vice-presidente Marcelo Pinto, marcou presença no evento para acompanhamento dos pilares do plano para Fortalecimento da Cidadania Financeira. A ABSCM tem 28 associados em 12 Estados brasileiros.

A programação contou com paineis temáticos e talk shows focados em quatro grupos temáticos: inclusão financeira nos pequenos negócios; relacionamento do cidadão com o Sistema Financeiro Nacional; mensuração do bem-estar financeiro; cidadania e vulnerabilidade financeira.



A abertura ficou a cargo do Governador do Estado do Espírito Santo, Paulo Hartung, que está na terceira gestão do mandato, e comentou sobre a preocupação com os rumos do País e condução da política financeira brasileira. “Indicadores mostram que a economia começa a reagir, mas o ambiente social ainda é preocupante. Para ter um sistema financeiro sólido e eficiente, é crucial entender os impactos da digitalização na cidadania financeira”, disse Hartung.



Na sequencia, o presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, cita o ranking feito pelo Instituto Brookings, em que mostra que o País ficou em segundo lugar na pesquisa que analisa a evolução da inclusão financeira e digital em 26 países em desenvolvimento. “Começo trazendo notícias recentes – e promissoras – sobre a inclusão financeira e digital no Brasil. O levantamento citou ações promovidas pelo Banco Central como relevantes para o avanço, inclusive a realização deste fórum e o lançamento do plano de fortalecimento da cidadania financeira. Ficamos animados com o resultado, mas sabemos que é apenas o começo”, afirmou.

O Assessor da Presidência do Sebrae, Carlos Baião, um dos convidados do fórum, comentou a pesquisa feita em setembro desse ano pela Entidade com 8 mil microempreendedores, mostrando que, 83% das pequenas empresas não tomaram crédito dos bancos tradicionais. Outro dado é que, caiu pela metade, a inadimplência por parte das empresas que receberam consultoria de educação financeira.

APP BC+

Durante o encontro, o BC disponibilizou dados específicos para pequenos negócios, que estarão disponíveis ao público por meio do Sistema Gerenciador de Séries Temporais (SGS) do BC pelo endereço: https://www3.bcb.gov.br/sgspub/localizarseries/localizarSeries.do?method=prepararTelaLocalizarSeries.

Coletiva de Imprensa com Túlio Maciel, chefe do Departamento Econômico do Banco Central do Brasil, que apresentou o Índice de Atividade Econômica do Banco no último ano



A criação e divulgação dos indicadores faz para da Agenda BC+, no pilar Mais Cidadania Financeira. Os dados incluem informações sobre saldo de crédito, quantidade de operações, inadimplência, taxa média de juros das operações de crédito contratadas, entre outros, e serão atualizados trimestralmente. Os dados também estarão disponíveis no Portal de Dados Abertos do Governo Federal.

A iniciativa é um esforço do Banco Central para gerar indicadores sobre os pequenos negócios, que representam 98,5% das empresas do País, propiciando transparência e acompanhamento da sociedade da evolução do acesso ao crédito por esse segmento.

“Com os indicadores na plataforma BC +, os microempreendedores poderão ter acesso e cruzar dados para entender do mercado, verificar taxas mais baratas, resultados de crédito, performance e, com isso, terem a oportunidade de faturar mais e ter uma visão a longo prazo e sustentável do negócio. Além disso, possibilita identificar melhor os problemas, as oportunidades e os desafios nesse campo, subsidiando a implementação de políticas públicas mais efetivas – como realizado no caso do Panorama do Crédito Concedido a Microempreendedores Individuais.”, explica a chefe do Departamento de Educação Financeira do Banco Central do Brasil, Elvira Cruvinel.

Estatísticas e dados Dos 8,7 milhões de MEIs registrados na Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa (Sempe), poucos possuem relacionamento com o sistema financeiro formal, apenas 19% deles. O saldo da carteira de crédito do MEI PJ em 2016 foi de R$ 4,2 bilhões. Porém a carteira de crédito de PF, registrada como MEI, foi quinze vezes maior, de R$ 64,6 bilhões.

Sidney Ferreira, Diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco, explica que, 98% das empresas no País são oriundas de pequenos negócios e enfrentam dificuldades para acesso ao crédito. “Burocracia e falta de garantias ainda são algumas entraves que barram a inclusão financeira”, argumenta Ferreira.

Dados do Banco Central mostram que o saldo da inadimplência vem caindo nos últimos meses para todos os portes de empresa, mas ainda permanece elevado. Já as microemprensas têm mostrado um quadro mais estável com volumes de crédito não pagos em torno de R$ 5 bilhões.



Já as microempresas tomadoras de crédito passaram de 1,1 milhão, no início de 2012, para mais de 2,8 milhões em agosto de 2017. As empresas de todos os portes perderam participação no crédito em benefício das grandes empresas que passaram a concentrar mais de 57% do total.

As EPP passaram de 13,5% em 2012 para menos de 10% em agosto desse ano. As ME recuaram de 5,2% para 4,3%.

Juntas, as MPEs representam 98% do universo de empresas e mais da metade do emprego, mas recebem pouco mais de 14% de todo o crédito do SNF – Sistema Financeiro Nacional.

Já no segundo dia do evento, foi apresentado temas como crédito como instrumento da inclusão do MEI, cidadania financeira na era da digitalização e informação – desafios para a seleção e monitoramento de indicadores e o lançamento das diretrizes para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo.

Para mais informações e dados, acesse o site do Banco Central: http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/c/notas/16312